Carvoli

DICAS DE TROCA DE ÓLEO

Você já foi surpreendido por algum ‘profissional’ dizendo que está na hora de trocar o óleo do seu carro simplesmente usando o ‘dedômetro’? A princípio, você sabe o que é dedômetro? É uma ferramenta muito utilizada para verificar as condições do óleo do motor. Todo mundo tem e é muito simples de usar. Tire a vareta do óleo e passe um pouco no seu dedo polegar. Depois junte com o dedo indicador e pressione o óleo em movimentos circulares (umas 5 voltinhas já é suficiente). Separe os dedos bem devagar e veja se o óleo ‘dá liga’, ou seja, fica um fiozinho entre os dedos. Se ficar o óleo está bom, mas se não ficar é porque precisa trocar.

Outro indicador é a cor do óleo. Se tiver preto significa que não presta mais e tem que trocar.

E o filtro de óleo? Não precisa trocar agora, troquei na anterior.

ESSAS SITUAÇÕES SÃO COMUNS, MAS TODAS ESTÃO ERRADAS!! 

Através desses exemplos equivocados, elaboramos algumas dicas de como proceder no antes, durante e depois da troca de óleo do seu carro.

Antes da troca

Não existe segredo. A hora de trocar o óleo do carro está marcada no selinho que, teoricamente deveria estar no pára-brisa do seu carro com as informações de data da troca anterior, data da troca futura e especificação do óleo usado.

Verificando o nível do óleo: O carro tem que estar numa superfície plana. Depois de desligar o motor, espere pelo menos 3 minutos para todo o óleo descer para o carter, caso contrário sempre vai faltar óleo. Muitas pessoas completam o óleo sem precisar. 

Se mesmo depois de aguardar o tempo necessário ainda estiver faltando óleo e não venceu a data ou quilometragem da troca, complete com o mesmo óleo que utilizou na troca anterior. Não misture especificações diferentes. Cada especificação tem seu pacote de aditivação e lubrificação de que seu carro precisa.

Durante a troca

Chegou a hora de trocar o óleo.
Particularmente, preferimos a troca no elevador ou rampa, onde é tirado o bujão do carter. Existe máquina de sucção que troca o óleo pela vareta do nível, mas dessa maneira sempre fica um pouco de óleo no carter que será misturado ao novo, contaminando o sistema e diminuindo a vida útil desse novo lubrificante e sempre, sempre mesmo, troque o filtro. Dentro dele cabe quase meio litro de óleo que se não for trocado também irá contaminar o óleo novo. 

Aonde você for trocar o óleo, acompanhe o serviço. Ferramentas adequadas permitirão uma troca rápida e limpa.

O ideal é fazer a troca com o motor quente, pois assim o óleo escorre mais rápido, por estar mais “fino”.

Verifique as condições do carter, bujão e o anel. Muitas vezes essa trio é a dor de cabeça da troca, pois se o carter estiver amassado talvez o bujão não saia, tendo que levar em uma oficina especializada para retirar e trocar essa peça. 

Aproveite que seu carro está no elevador e verifique se tem o protetor de carter. Recomendamos a aquisição, pois o custo é muito menor do que a dor de cabeça de ter um carter estourado, perder todo o óleo e se não tomar cuidado, o motor também.

Se o bujão estiver espanado deverá trocar por outro. 
O anel é o menos lembrado, mas muito importante, pois evita o vazamento de óleo pelo bujão. 

Depois de trocado o óleo, nunca esqueça de pedir para colocar o selinho com as informações da troca. É fato! A gente nunca se lembra quando trocou o óleo da última vez.

Lembre-se, o período de troca e as especificações do lubrificante está no manual do seu carro. Se você não tiver mais o livreto, não se preocupe. Existe programas de computador especializado nessas informações. Nós, da Carvoli, temos o Inforlub, um dos melhores e mais conhecidos do mercado.

Depois da troca

Acompanhe, pelo menos uma vez por semana, o nível de óleo do seu carro e fique atento a qualquer diferença. Em alguns modelos é normal baixar um pouco e ter que completar. Mas se baixar muito, leve seu carro ao seu mecânico de confiança, pois pode estar vazando.

Equipe CARVOLI